Bicicleta de 74 anos será restaurada


Fabio Riesemberg


Meu sogro acaba de ganhar uma bicicleta feminina alemã Dürkopp (a pronúncia é algo como Dircop), ano 1936, que, para a minha alegria, ficará sob minha custódia por um longo tempo porque pretendo ajudá-lo a restaurá-la. A bike impressiona pela resistência ao tempo porque roda tranquilamente com a maioria das peças sendo original. As curiosidades sobre essa senhora de 74 anos vão formando um acervo de informações históricas muito importantes e eu calculo que não conheço nem 20% delas por enquanto. Os aros de 28 polegadas dão charme e proporcionam mais conforto ao condutor da magrela, desprovida de qualquer tipo de suspensão, exceto pelas molas do selim, que ainda nem sei se é original.

A primeira coisa que chama a atenção são as redes fixadas nas laterais da roda traseira, bem oportuno para que as senhoras trajando vestidos longos  da época pudessem pedalar sem correr o risco de enroscar as vestes entre os raios. A roda traseira leva um cubo Torpedo com o número 36 impresso, confirmando o ano de fabricação.
O freio da frente, muito rudimentar e pouco eficiente, se limita a uma sapata de borracha que entra em atrito direto com o pneu dianteiro, acionada por um manete muito similar aos que equipam as bicicletas atuais. A letra “D”, inicial da marca germânica, orna o paralama dianteiro de forma bem tradicional, como podemos notar também em motos e carros. Aos internautas que são aficcionados por bicicletas antigas eu peço a colaboração com informações sobre esse modelo Dürkopp.
Sobre a marca, já descobri alguns fatos interessantes. A Dürkopp foi fundada em 1867 como Dürkopp & Schmidt em Bielefeld, na Alemanha, com o objetivo de fabricar máquinas de costura (aliás é muito curioso que a ex-proprietária dessa bicicleta tenha sido a homônima de sobrenome, senhora Dagmar Schmidt, que mora em Blumenau – SC e que não a usava há  apenas quatro anos). Aquele era o ano em que a revolução industrial europeia marcava seu início na cidade germânica, que possuía vocação têxtil entre suas atividades produtivas. Consta que a Dürkopp cresceu junto com  a cidade de Bielefeld e se tornou a maior fabricante de automóveis, bicicletas e rolamentos da Alemanha até limitar suas atividades ao setor têxtil pouco depois da Segunda Guerra Mundial. Vou contar muito mais sobre a história da Dürkopp. Aguardem novos posts.

7 Respostas para “Bicicleta de 74 anos será restaurada

  1. Oi… Acho que valeria a pena você trocar umas idéias com o Sr. Stefan, que é o assunto desse post. Pode dizer que fui eu lhe passei o contato!

    http://forum.ciclismo.esp.br/antigas-f20/stefan-welkovic-t370.htm

    Abraços e boa diversão com a bike!

  2. Bacana, Jhansen. Muito obrigado pela dica. Vou entrar em contato sim. Grande abraço.

  3. Não sei se ajuda, mas Marcelo Afornali está vendendo um catálogo digitalizado da Dürkopp de 1937. É igual a 36.
    Veja em:
    http://www.bicicletasantigas.com.br/loja/index.php?cPath=36

    Stefan
    PS: muito bonita a sua bicicleta! Como conseguiu equilibrá-la para a foto (hahaha)?

  4. ola Fabio!!
    bela bicicleta! sou apaixonado por bicicletas antigas e a poucos dias encontrei um quadro com pedivela,e movimento central completo, caixa de direção e garfo, igual a sua, mesmo ano pois o ano esta gravado no eixo da caixa central. Tb estou procurando informações para tentar restaurar principalmente quanto a pintura!! tenho uma Adler-Werke 288 feminina ano 52 , pintura original , muito linda,e uma durcopp masculina , ano 53, sem restaurar!
    gostaria de saber se vc conseguiu alguma informação, ou fotos, pode ser fotos da sua bicicleta tb, e se pudesse enviar no meu e-mail, ficaria super agradecido! quem sabe se eu encontrar algo tb poderei ajudar!
    O marcelo afornali das bicicletasantigas.com.br certeza que sabe tudo sobre essa bicicleta ele manja muito , mas no site tem uma ano 39! o quadro é identico , o que mudaria seria a pintura acredito. Eu comprei a redinha que cobra a roda traseira dele! da minha adler,
    se tiver algum material e puder me enviar ficarei imensamente agradecido
    nandovier@yahoo.com.br
    abraço!!
    cuide bem dessa historia!

    • Oi, Fernando. Desculpe a demora em responder. Tenho tido pouco tempo de ir atrás das peças originais da Durkopp. Mas estou louco para trocar o selim, que já não aguento mais o que está nela. Não pretendo gastar grana alta em um Brooks agora.

      Enfim, não tenho mais informações sobre a Durkopp. Mas conte comigo se eu puder ajudar. Já sei sobre o Afornali. Incrível o que ele faz.

      Trocaremos mais idéias no futuro.

      Abraço.

  5. Bom dia a todos, tenho uma Adler final da decada de 40, muito original, vendo ou troco por bicicleta americana antiga.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s